Outono



.
.
.
.
.
.
.
.
.


.
.
Hoje o dia disse brisa, disse sol,
deu rumo e terminou.

Todo dia nasce e morre no mesmo dia.

A gente fica e espera. Que venha o próximo.

Todo dia a gente pode mudar o dia,
seguir um rumo, talvez sem rumo,
dizer coisas...
...coisas que vão sendo escritas na memória...

Um dia um livro chega pelo correio,
a gente abre e lê.

Vê que a vida, com seus altos e baixos,
deixou muita coisa legal.

...E todos os dias ela deixa,
enquanto houver a possibilidade de um amanhã.


(esse foi para minha amiga Nádia Rockenback,
que acabou de publicar seu livro "Outono"
pela Editora Protexto)

2 comentários:

paula barros disse...

Um linda homenagem, sensível.

O que seria de nós se não tivesse a esperança do amanhã, mesmo que vivendo intensamente o hoje.

bjs

Flora Maria disse...

Vim retribuir sua visita.

Espero um dia ter uma árvore repleta de orquídeas como a que v. já viu.
São essas belezas que fazem a vida mais feliz, não é mesmo ?

Muito bonitos seus textos, e a música é maravilhosa !
Um abraço